Viagens

Como se inspirar para uma viagem?

Independentemente da forma como você prefere viajar, se em grupo, pacote ou sozinho, preparar-se é fundamental. Quando se integra um grupo organizado por uma agência ou operadora, há um guia que acompanha e que relata os fatos mais importantes sobre o lugar, mostra detalhes da arquitetura e determina o tempo disponível para que você, após as orientações recebidas, explore minimamente o atrativo que está sendo visitado. Às vezes, isso não é possível, porque existe um roteiro a seguir.

Quando se viaja por conta própria, não existe o guia para te acompanhar, a menos que você, no destino, contrate um de forma particular (em Machu Picchu eu realmente recomendo um guia particular para a melhor compreensão do sítio arqueológico como um todo). Logo, você terá que obter as informações que deseja por outros meios. Além dos guias publicados pelas editoras (Lonely Planet, Guia da Folha, etc.) e das revistas especializadas (Viagem e Turismo, Viaje mais por menos, etc.), existem muitos blogs que escrevem sobre o destino para que você está prestes a embarcar (consulte os sítios da RBBV e da ABBV e poderá ter acesso a vários deles, todos com informações sérias sobre os destinos viajados). Pode ter certeza: alguém já esteve lá antes e já escreveu algo em algum lugar. É preciso um pouco de paciência e tempo para garimpar as informações disponíveis na web. Sinceramente, não sei como se viajava antes da internet…

Mas existe outra forma de você se inspirar para viajar: livros e filmes. Confessa aí que ficou louca para ir para a Roma, Índia e Bali logo depois de assistir ‘Comer, Rezar e Amar’, com a Júlia Roberts? Ou voar para a Toscana, após ler ou assistir o filme ‘Sob o Sol da Toscana’? Lembro que montei um roteiro inteiro para a Espanha após assistir ‘Vicky Cristina Barcelona’… E que delirei na Praça de Espanha, em Roma, ao lembrar do ‘Para Roma com amor’, de Woody Allen… E a lista de filmes não termina assim tão rapidamente… ‘Meia-noite em Paris’, ‘O carteiro e o poeta’, ‘Cartas para Julieta’ e outros tantos que não me vêm à memória agora…

filmes01

E o que dizer dos livros, então? ‘Eu, Monalisa’ descreve a Florença antiga de forma tão detalhada que quando pisei na Ponte Vecchio, podia quase enxergar as bancas que ali existiram (atualmente são comerciantes de ouro a grande maioria). ‘Minha vida com Pablo Neruda’ relata a história de amor entre o poeta e sua ‘Chascona’, Matilde Urrutia, cujos detalhes narrados no livro podem ser visitados em suas três casas no Chile: La Chascona (Santiago), Isla Negra e La Sebastiana (Viña Del Mar). Os próprios livros de Dan Brown (Código da Vinci, Anjos e Demônios, etc.) são excelentes ao detalhar os locais por onde passam seus personagens.

livros01

Martha Medeiros escreveu o melhor guia para Santiago do Chile. Mais recentemente, ‘Um lugar na janela’ reúne crônicas de suas viagens. Luciana Tomasi, outra gaúcha que adora viajar, conta suas aventuras pela Ásia em dois livros deliciosos de ler: Um SPA na Índia e Três Cidades perto do céu (ih, ainda não bloguei ele…). Guilherme Canever viaja de forma totalmente independente e de mochila. Narrou suas peripécias em De Capetown a Muscat: uma aventura pela África’ e ‘Rota da Seda’, ambos da editora Pulp.

livros02

Além das informações práticas para o destino, que você vai precisar e que os guias, revistas e blogs proporcionam, a literatura e o cinema ajudam muito no quesito informações e inspirações sobre o destino. Seja para você se preparar, seja para você rever um lugar que já conhece. E assim você não fica preso à versão oficial, que é aquela que querem que você saiba; pelo contrário, você pode questionar, buscar temas de seu interesse e compreender muito além daquilo que o destino tem para te mostrar, além de encontrar lugares superlegais que não integram o roteiro oficial, digamos assim.

E você, como se prepara para a sua viagem? Conte para a gente!

 

andrea barros particular2

Mensagem Anterior Próximo Post

Você Pode Gostar Também

Sem Comentários

Deixe uma resposta