Browsing Tag

filmes que amamos

O-Começo-da-vida-depois-da-chegada-documentario
Cultura, Entretenimento

Filmes que amamos: O começo da vida (2016)

O filme da vez chama-se “O começo da vida”. Lançado no mês de maio, o longa percorre diversas culturas e quebra paradigmas para mostrar a importância dos primeiros anos de vida na formação de uma pessoa.

A primeira infância, período que vai da gestação aos seis anos, é fundamental para a construção do caráter da criança e, consequentemente, uma sociedade mais justa. O filme aborda as mães como elemento primordial nessa formação do indivíduo, tanto pelo laço afetivo que se cria durante a gravidez, quanto nos primeiros passos de seus filhos.

Trazendo fortes convicções de que investir no desenvolvimento das crianças é o melhor caminho para que o futuro comece a ser mudado, o filme “O começo da vida” é uma excelente dica para todas as mulheres que são, ou sonham, em ser mães.

Veja o trailer:

Onde assistir? VideoCamp, Youtube e Netflix.

Cultura

Filmes que amamos: O Carteiro e o Poeta (1994)

o carteiro e o poetaO filme narra a experiência de Pablo Neruda no exílio. Observa-se o carteiro e a construção do conhecimento que é transmitido, assimilado sobre tudo o que modifica a vida do homem simples, que deseja compreender o todo ao seu redor e o mundo que vai além da sua experiência de vida que é o pescar. A história traz lições de amor, amizade, solidariedade e demonstra que a poesia pode servir como instrumento de reflexão, de conscientização e que carrega um poder indescritível. A mensagem do filme é que toda pessoa tem a capacidade de aprender, de amar, de fazer, de escrever e de moldar o seu destino pelo conhecimento. É a essência de ver, sentir e transformar a vida através do exercício da leitura da percepção. Devido seu exílio em uma ilha italiana, o poeta chileno Pablo Neruda encontra um mensageiro analfabeto e modifica a vida dele para sempre de forma indelével e irrevogável.

Onde ver: YouTube e locadoras

Kelly Martini – Jornalista (MTB 137.25)

 

Fonte: Wikipedia
Cultura

Filmes que amamos: Cartas para Julieta (2010)

Cartas-para-JulietaA escritora Sophie (Amanda Seyfried) e o Chef de cozinha Victor (Gael Garcia Bernal) estão noivos e viajam à Verona – Itália, para uma antecipada lua de mel. Mas o que era para ser um encontro romântico e embalar o amor do casal, torna-se um eterno desencontro. Enquanto Victor somente se interessa em realizar descobertas e contatos para o restaurante que tem em Nova Iorque, Sophie se encanta com as ações das voluntárias que respondem as cartas enviadas a Julieta em Verona, onde buscam aconselhamentos amorosos. Verona é a cidade de “Romeu e Julieta”. Uma carta que foi enviada em 1957 por Claire (Vanessa Redgrave) ao seu amado contorna a história, fazendo Sophie acompanhar a aventura de Claire, com o neto Charlie, na busca por Lorenzo, um inesquecível amor de uma vida toda. As surpresas mudam o destino de todos, que movidos pelo amor, descobrem novo sentido para a vida.

0109 - Casa da Giuleta

Casa da Giuleta Fonte: Andrea barros do Blog Do RS para o mundo

0189 - mas quem preferir pode levar sua carta já escrita  e depositar nessa caixa de correio, que fica no último andar

Fonte: Andrea barros do Blog Do RS para o mundo

Kelly Martini – Jornalista (MTB 137.25)

 

Blog, Cultura, Entretenimento

Filmes que amamos: Flor do Deserto (2010)

19874347Flor do deserto (2010)

Uma história de Cinderela, com muita sensibilidade e lucidez. O filme conta a história real da modelo Waris Dirie (Liya Kebede). A bela que nasceu na Somália em 1965, numa numerosa família de pastores nômades muito pobres. Como de costume as meninas na tribo, eram vendidas ainda crianças para homens muito mais velhos, e como não foi diferente, aos 13 Waris foi vendida a um noivo de 60 anos. Insatisfeita com o triste destino, a menina foge sozinha e atravessa o deserto hostil e por penosos dias que parecem intermináveis consegue chegar a Mogadíscio onde é recebida pela avó que a envia para Londres. Trabalhando de empregada doméstica Waris cresce e adulta é descoberta pelo fotógrafo Terry Donaldson (Timothy Spall). Foi nesse momento que a vida de Waris muda ao se tornar uma super-modelo. Já mundialmente conhecida Waris torna-se embaixadora da ONU relatando a experiência degradante de milhões de crianças submetidas a excisão feminina. A luta começa com uma série de entrevistas às revistas de moda, onde ela relata a experiência que teve aos cinco anos, a mesma que mutilou tantas crianças marcadas por toda a vida. Filme de Sherry Horman, é baseado na autobiografia de Waris Dirie que se tornou, em 1998, num best-seller em todo o mundo.

Onde assistir: Youtube, locadoras

Por Kelly Martini – MTb 137.27